fbpx

Fechando uma quinzena de reflexões sobre mim mesmo. Sobre escolhas e sobre projetos que estão sendo tocados. Me percebo mais leve e congruente com meus objetivos. E com uma reavaliação de tudo que já passou e do que virá, percebo algumas coisas que vem sendo recorrentes e que estão sendo fortemente trabalhadas.

E porque escrever isso? Para que você vai ler isso? Pois tenho certeza que não sou o único maluco desse mundo que teve sonhos e ainda não realizou. Te convido a mergulhar em alguns sonhos que tive e estão retornando bastante… e enquanto ler, pensa nos teus sonhos…

Bom, teve uma época que quis escrever um livro. Iniciei escrevendo em um caderno  a lápis, com meus garranchos aos poucos foi tomando forma o início de um livro de ficção científica. Lembro que estava orgulhoso, e quando mostrei a um professor de literatura no primeiro ano do segundo grau, chegou o balde de água fria. Ele obviamente cavalgou e sapateou em cima do sonho. (E talvez eu não gostasse de português depois por isso… o que me fez não aproveitar como deveria as aulas de um professor que me puxava muito e hoje vejo o quanto aprendi com ele: Inocêncio Becker).

Que fim levou o livro? Ignorei e parti a outro projeto, outro sonho. E a vida vai seguindo. Então mais de ano atrás meu primo me pergunta o que houve com aquele livro. Quando contei, ele diz – Mas aquele livro estava fantástico, super bem escrito – e, instantaneamente me senti um palerma. E o que ocorre? Neste ano várias coisas estão redespertando esse prazer em escrever e o quanto eu tenho a contribuir pra esse mundo fazendo isso. Que coisas são essas? Uma é escrever aqui, a outra foi ter descoberto de paraquédas no podcast e no curso do Fabio Barreto (Barreto Unlimited) e voltar a ter aquele encantamento pela pena, pela escrita. Sonho que começa a virar ação…

Bom, se esse começou a se realizar, vamos pro outro sonho. Ser ator de TV! Sim, cheguei a estudar teatro na Terreira da Tribo, até que tive que escolher, focar me teatro ou ser professor de informática. cabei escolhendo o que rendia dinheiro. Até porque dar aula estava sendo muito gratificante. E o que aconteceu com isso? Faz parte de tudo na minha vida, me ajuda a ser quem sou e auxiliar a passar minha mensagem, ajudar meus pacientes, clientes. E, principalmente entrou em ação de vez, virei YouTuber! Quem diria!!! De novo outro sonho que começa a virar ação!

P.S.: Importante!! Enquanto amadurecia a idéia dos vídeos, consultei um conhecido que é bom na área de publicidade. O que ouvi? Vergonha alheia, se tu não é gatinha não dá certo. Ou tem que fazer palhaçada. Se eu fosse o mesmo guri do segundo grau, talvez não tivesse feito. Mas mesmo com poucos views, já está valendo a pena!!

Ahn, queria muito ser piloto de caça da força aérea. Afinal, cresci em uma cidade que tinha base aérea e meu filme preferido era Top Gun. Pilotar um F14 então, eu me tornaria cidadão americano na época só pra pilotar um. Bom, esse danou-se, alguns meses antes da prova da EPCAR eu descobri que tinha problema de visão. Acabaram-se os sonhos de virar piloto de caça. Mas esse já resolvi com joguinhos de fliperama… E toda possibilidade de eu me tornar militar.

Bom, e resta o mochilão pela Europa, fazer o Caminho de Santiago (sim, eu assumo que li Paulo Coelho) e mais algumas aventuras malucas. Só que isso foi indo e por diversos motivos da vida foi sendo adiado. Mas como muitas coisas na vida, começam a te chamar. Nessa semana falei com um amigo e ele me comentou que eu falava em fazer o caminho de santiago desde o segundo grau (shame on me).

Em 2014 ouvi um episódio do Café Brasil em que o Luciano Pires e mais dois escaladores conversavam sobre a subida do Everest. Ouvi três vezes o episódio e me arrepiei em todas. (Ahn, esqueci de dizer que fui escoteiro e fazíamos esses programas de índio seguido) De lá pra cá, esse projeto de ir pro caminho de santiago está sendo uma realidade mais próxima. Assim como vem aparecendo seguidamente nos últimos tempos um projeto de subir uma montanha, mas acho que não será o Everest. As vezes esses sonhos precisam ser transformados em realidade.

Bom, sei que falei muito… E onde quero chegar? A lugar algum, talvez apenas desabafar as coisas que estavam aqui dentro. Quem sabe alguém lê e se der sorte, faz algum sentido na sua vida. Prestar atenção a essas conexões que a vida faz e trazer isso pra teu dia a dia. As vezes esquecemos o que dá importância a nossa vida. Mas parando e revendo tudo, podemos reprogramar nossa rota e agir pra realizar nossos sonhos.

Só uma pessoa consegue realizar os meus (ou os teus) sonhos. Eu mesmo (ou você), mas disso depende saber o quanto eles valem a pena! E o quanto estamos dispostos a trabalhar por eles. Por mais que te chamem de louco, vale a pena!!!